Segunda, 22 de Julho de 2024 08:03
Sertão da Paraíba São Bento

TRE proíbe pesquisa encomendada por oposição em São Bento por perigo de “falsa percepção no eleitor”

TRE proíbe pesquisa encomendada por oposição em São Bento por perigo de “falsa percepção no eleitor”

20/06/2024 16h43
Por: Eli Cavalcante Fonte: Portal da Capital
TRE proíbe pesquisa encomendada por oposição em São Bento por perigo de “falsa percepção no eleitor”

 

O Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB) impugnou uma pesquisa encomendada pelo grupo de oposição da cidade de São Bento.

Na manhã desta quinta-feira (20/06), a juíza eleitoral Isabella Joseanne Assunção Lopes Andrade de Souza determinou a suspensão da divulgação dos números publicados pelo Seta Instituto de Pesquisa, que tem em seu histórico indícios de fraude e dezenas de processos judiciais. A magistrada entendeu que a pesquisa possui problemas técnicos que podem alterar o resultado, causando “uma falsa percepção no eleitor”. Essa é a segunda vez que a Justiça Eleitoral proíbe a divulgação de uma pesquisa contratada pela oposição em São Bento só neste pleito.

Na decisão publicada pelo TRE-PB, a juíza Joseanne Souza demonstra que a pesquisa encomendada pelo grupo do ex-deputado Márcio Roberto e do deputado Galego de Souza possui uma violação em sua amostra, nos questionários aplicados e omite padrões referentes aos graus de instrução utilizados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A pesquisa trazia o pré-candidato de oposição, Marcos Davi, com 39,5% e o pré-candidato da situação, Gerfeson Carnaúba, com 31,5%.

As pesquisas de intenção de voto desempenham um papel central no debate político. Elas são utilizadas para discutir as chances de cada candidato, suas forças e fraquezas, além de formular prognósticos”, argumenta a magistrada. Ela continua defendendo que “a divulgação de pesquisa eleitoral sem o rigor técnico exigido de tal instituto, cuidadosamente regulamentado pela Resolução do TSE, pode gerar uma falsa percepção no eleitor”.

Não é a primeira vez que a oposição de São Bento tenta divulgar números da corrida eleitoral na cidade. Na última semana o Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB) proibiu a veiculação de outro levantamento contratado pelo grupo opositor, desta vez por meio da empresa Insight Global Serviços. A corte ressaltou a necessidade de cumprimento da legislação para evitar tentativas de manipulação da opinião pública.

O Seta Instituto de Pesquisa responde a dezenas de processos judiciais em todo o Brasil. A Justiça Eleitoral informa, por exemplo, que houve ações contra as pesquisas do instituto em cidades como Parnamirim, São Gonçalo do Amarante, Pau dos Ferros e Caicó, no Rio Grande do Norte, e em Araguaína, Porto Nacional e Xambioá, no Tocantins.

Também não é nova a estratégia de divulgação de resultados inverídicos pelo grupo formado por Márcio Roberto e Galego de Souza. Em 2012 as pesquisas divulgadas indicavam a vitória de Jullys Roberto por 47,6%. Ele acabou derrotado com 41,89%.

Em 2016 foi alardeado que Gemilton de Souza venceria Dr. Jarques por 52% a 41,7%. Quando as urnas abriram Jarques foi eleito com 50,1% a 49,9%. Já em 2020 os números publicados diziam que Galego impediria a reeleição de Jarques, vencendo por 47,5% a 45,3%. O resultado oficial foi 52,91% a 46,84%, favorável ao atual prefeito.

Com informações do Portal da Capital